terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O que é Letramento???

Uma estudante norte americana de origem asiática - Kate M. Chong - escreveu o poema "Que é Letramento" em 1996. Este video procura ilustrar as palavras da autora que são tão esclarecedoras sobre o que vem a ser letramento.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Atividades Permanentes


Rodas de conversa e ações de cuidado corporal são algumas opções.

De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, "todas as atividades permanentes do grupo contribuem, de forma direta ou indireta, para a construção da identidade e o desenvolvimento da autonomia, pois são competências que perpassam todas as vivências das crianças".
Estabelecer uma roda de conversas diárias, organizar atividades de faz de conta e desenvolver as ações de cuidado corporal são atitudes cruciais para o desenvolvimento das crianças nesse eixo de aprendizagem. A realização de ações variadas e concomitantes nos diferentes espaços da creche estimula as escolhas e a autonomia dos pequenos.
Atividades relacionadas à habilidade de executar ações cotidianas, como organizar a sala após uma brincadeira, por exemplo, também entram nesta modalidade organizativa, pois aumentam a independência das crianças e sua consciência de grupo.

(Click no Titulo em azul e veja o projeto completo)

Lista de atividades


Estimule a sociabilidade das crianças, deixe que realizem pequenas ações (individualmente ou em grupos) e proponha diferentes organizações dos espaços na rotina da creche.


Ajude os bebês a ter prazer nas vivências coletivas da creche. Desenvolve a comunicação e a aprendizagem de regras de convivência.




Deixe que os bebês interajam com o espelho e reconheçam, por meio de diferentes atividades, a própria imagem corporal.




Entenda o que as crianças comunicam com o choro e ajude-as a desenvolver a comunicação.



Faça com que os momentos de sono diários sejam aconchegantes e proveitosos para as crianças.



Estimule o desenvolvimento da comunicação entre as crianças e aprenda a lidar com os bebês que mordem os colegas.


Processo de acolhimento das crianças






Objetivos
- Construir um ambiente de acolhimento e segurança para os bebês e suas famílias.
- Estabelecer diálogos com eles e ressignificar os gestos, as ações e os sentimentos por meio da linguagem.

Conteúdos
- Inclusão das famílias no processo de adaptação.
- Respeito às singularidades de cada criança.

Idade
Até 2 anos.

Tempo estimado
Duas semanas.

Material necessário
Objetos de apego dos bebês e para os cantos de atividades diversificadas, uma foto de cada criança e livros de literatura infantil.

Flexibilização
Bebês com deficiência intelectual costumam apresentar um desenvolvimento mais lento que os demais. No entanto, no caso de deficiências menos severas, essas diferenças podem ser pouco notadas nos primeiros anos de vida. O bebê é capaz de desenvolver sua mobilidade (mesmo que tenha algumas limitações motoras) e também a capacidade de comunicação, embora costume apresentar dificuldades de equilíbrio e de orientação espacial. Certifique-se das limitações desta criança, respeite o ritmo de cada bebê e conte muito com a ajuda dos pais ou responsáveis para adequar os procedimentos nas situações de cuidado e de aprendizagem. Repetir atividades e oferecer objetos que façam parte do dia a dia do bebê são ações fundamentais que ajudam a criança nesse processo de acolhimento. Organizar um caderno de registros, com as evoluções e dificuldades de cada bebê em diferentes situações de aprendizagem também contribui para diagnosticar eventuais dificuldades da criança.

Desenvolvimento
1ª etapa
Leia a anamnese dos bebês ou entreviste seus familiares. Converse com eles sobre a possibilidade de uma pessoa próxima à criança acompanhar o período de adaptação e participar de situações da rotina para compartilhar formas de cuidados com o educador. Não é preciso que os pais estejam presentes. Outros responsáveis, como avós, tios e irmãos mais velhos, podem participar dos primeiros dias.

2ª etapa
No primeiro dia, acompanhe os responsáveis nas situações de cuidado, como banho, alimentação e sono, e observe procedimentos e formas de interação (a entrega do objeto de apego no momento de sono, como foi interpretado o choro etc.). Monte alguns cantos (por exemplo, com jogos de encaixe) e se aproxime dos pequenos. Depois, faça uma roda com eles e as pessoas de sua referência para despedida e transforme os gestos e as ações observados em palavras. Converse sobre as brincadeiras, os interesses e o que foi possível aprender sobre eles: João gosta de bola, Marina tem um paninho etc. Fale que novas brincadeiras serão feitas no dia seguinte. No segundo dia, organize outros cantos, com bacias com água, bonecas e livros, por exemplo. Circule e participe das situações. Oriente as pessoas que acompanham o processo a ficar no campo de visão do bebê, mas que procurem desta vez não interagir o tempo todo. No momento de trocar a fralda, a referência familiar pode ficar ao lado do educador, enquanto ele realiza o procedimento explicando à criança o que foi que aprendeu sobre ela ("Eu já sei que você adora segurar seu urso ao ser trocado. Pegue aqui").

3ª etapa
No terceiro dia, brinque e abra espaço para a expressão de sentimentos e gestos. Procure dar sentido às ações com base nas experiências que os envolvem ("Seu bebê está com fome, José. Vamos preparar uma sopa?). As pessoas que acompanham os bebês podem se afastar do campo de visão deles. A saída deve ser comunicada às crianças. No quarto dia, mostre cantos variados. À medida que demonstrarem segurança, faça as despedidas das pessoas que os acompanham. Anuncie onde estarão (quem ainda fica na creche, quem vai tomar um café ou quem vai embora). Brinque e acolha os possíveis choros, pegando no colo, oferecendo brinquedos etc. Leia uma história.

4ª etapa
No quinto dia, componha o ambiente com os três cantos que mais atraíram no decorrer da semana. Selecione fotos dos pequenos para a composição de um painel. Nesse dia, apresente cada um, diga o nome, do que já brincou, se é sapeca, brincalhão etc. Quando os responsáveis vierem buscá-los, compartilhe esse painel na presença dos bebês e crie um contexto de conversa que demonstre o pertencimento deles à creche ("Agora esta sala é da Estela também. Olha onde fica sua foto."). Na segunda semana, planeje os cantos com base nos interesses das crianças e no que julga pertinente para ampliar as experiências delas com o mundo -- a repetição de propostas é importante.

Avaliação
Observe o comportamento dos bebês. Se possível, empreste um brinquedo às mais resistentes, diga para cuidarem bem e trazerem de volta à escola.
Consultoria: Clélia Cortez
Formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo.

Processo de acolhimento das crianças e das famílias


Objetivos
- Envolver as famílias que chegam à escola pela primeira vez num clima de acolhimento, segurança, cuidado e afeto.
- Incluir as crianças na construção do espaço e do tempo da escola (rotina)
- Acolher as singularidades de cada criança e incluí-las no desenvolvimento das situações planejadas.
- Mediar as experiências da criança com a cultura

Conteúdos- Inclusão das famílias no processo de adaptação
- Envolvimento das crianças na construção da rotina
- Respeito e valorização das singularidades das crianças
- Mediação das experiências da criança com a cultura

Idade 
2 e 3 anos (a sequência pode ser adaptada para acolher crianças de até 5 anos)

Tempo estimado 
Duas semanas

Materiais necessários- Objetos para casinha, bonecas, carrinhos, giz ou fita crepe, massinha, papel para desenho, fantasias;
- Uma caixa de papelão;
- Uma foto de cada criança;
- Fotos ou desenhos de situações da rotina;
- Livros de literatura infantil.
Flexibilização
Para crianças com deficiência física 
Para incluir crianças com deficiência física nos membros inferiores, o primeiro passo é garantir a acessibilidade dos espaços da creche. Faça um passeio com a criança pelas salas e áreas externas e apresente-a aos colegas. Deixe que as crianças interajam e conversem. Caso as crianças tenham dúvidas, como por exemplo "por que ele não anda?", responda de forma clara. Aproveite a oportunidade para contar a todos que a limitação motora do colega, de forma alguma o impede de fazer as atividades propostas, mas que, para algumas ações, ele pode precisar de ajuda. Explique isso à criança com deficiência física e mostre que ele pode recorrer a você ou aos colegas sempre que precisar. Conte com a ajuda da família para compreender melhor as necessidades e hábitos da criança. Procure manter objetos ao alcance dos pequenos e respeite o tempo de aprendizagem da criança.

Desenvolvimento
A adaptação começa antes da entrada da criança na escola. Solicite, portanto, aos familiares que preencham previamente uma ficha, ou então, realize uma entrevista com perguntas que retratem quem é a criança: seu nome, se possui irmãos na escola, suas brincadeiras preferidas, comidas que aprecia ou não, se possui objetos de apego, chupeta e o que costuma gerar conforto ou desconforto emocional (por exemplo, a resistência para relacionar-se com pessoas estranhas).
Ao ler as fichas e estabelecer um primeiro contato com as crianças inicie o planejamento.
1º dia
Organize o ambiente contemplando, também, as preferências observadas nos relatos das famílias: por exemplo, um canto de casinha com carrinhos de boneca e bonecas; um outro, com carrinhos e algumas pistas desenhadas no chão com giz ou fita crepe; um canto com massinha ou materiais para desenho. O tempo de permanência da criança na escola pode ser aumentado gradativamente, mas é importante que nos primeiros dias uma pessoa de sua referência afetiva permaneça o tempo que for necessário próximo dela, mesmo que seja em outro lugar que não seja a sala de aula.
Já neste primeiro dia mostre que houve interesse em conhecer a história de cada um, faça comentários do tipo: "João, sua mãe me contou que você gosta muito de bola, você viu que aqui nesta sua escola você pode brincar de futebol? Veja quantas bolas separei para você, quer brincar comigo?", ou: "Marina, eu já sei que você adora massinha, vamos fazer um bolo e uma festa com seus novos colegas?".
No encerramento dessa proposta, anuncie para as crianças o que será feito a seguir. Faça um passeio pela escola e apresente os espaços e pessoas que pertencem a este lugar. Em seguida, apresente uma brincadeira cantada para as crianças e os pais. No final do dia faça uma roda de conversa com as crianças e relembre o que observou de mais significativo do movimento do grupo; narre algumas cenas que revelaram envolvimento, interesse e anuncie o que viverão no dia seguinte.
Solicite aos pais uma foto da criança para que seja organizado um canto do grupo na sala de aula.
Avaliação Observe e registre posteriormente as crianças que mais se envolveram com as propostas e as mais resistentes à aproximação dos adultos para pensar em formas de convite e construção de vínculos nas próximas situações.

2º diaOrganize os cantos de atividades diversificadas de desenho, massinha, jogos e fantasias e compartilhe com as crianças as opções que terão neste dia. Procure circular pelos diferentes cantos e participe das situações junto com os pequenos.
Num outro momento, apresente para as crianças o canto que foi escolhido para colocar as suas fotos e envolva-as nesta situação. Crie um contexto de interação neste momento: ao colocar as fotos no painel cante músicas com os nomes das crianças ou então faça uma brincadeira referindo-se a algumas características físicas ou ações observadas no dia. Por exemplo: "esta menina que vou mostrar agora brincou muito de bola, comeu muita banana e está ao lado do Lucas. Quem será?"
Faça a leitura de uma história e mostre onde será o canto de livros do grupo.
No final, apresente uma caixa onde ficarão os objetos trazidos pelas crianças de casa.
Solicite aos pais que façam um desenho com seus filhos e tragam no dia seguinte para ser colado nesta caixa. Se possível tire uma foto do grupo para identificar este objeto que será de todos.
Avaliação Observe a movimentação das crianças nos cantos e a forma de envolvimento com as propostas. Anote como foram as reações daquelas crianças mais caladas, das que resistem aos contatos, ou mesmo daquelas que demonstram uma certa euforia diante de tanta novidade.

3º dia
Faça mais uma vez a brincadeira com as fotos das crianças e com as músicas "A canoa virou"; "João roubou pão". Proponha mais uma vez os cantos de atividades diversificadas de massinha, casinha, pistas de carrinhos e bichos.
Monte com as crianças a caixa onde ficarão seus objetos e escolham um canto onde ela ficará guardada.
Compartilhe mais uma leitura e guarde mais um livro na biblioteca que será do grupo.
Encerre o dia recuperando oralmente o que foi vivido pelas crianças e anuncie algo que as aguardará no dia seguinte. Faça também um clima de surpresa, de expectativa para as novas experiências.
Avaliação Invista na interação com as crianças que demonstram maior dificuldade e resistência. Chame-as para pegar algum material com você para a organização do ambiente, sente-se ao lado para fazer um desenho, faça você um mesmo um desenho ou escultura de massinha para que leve para casa e observe as reações a estas formas de convite. Não se esqueça de que aquelas crianças que aparentemente estão achando que tudo é uma "festa", merecem um olhar especial, um colo, momentos de atenção para se entregarem às propostas e para compreenderem o que está acontecendo com elas.

4º dia
Receba as crianças com os cantos de atividades diversificadas (no mínimo 3). Faça mais uma vez a brincadeira com as fotos. Apresente em forma de desenho ou por meio de fotografias das crianças, cada situação da rotina (o professor deve organizar este material previamente). Converse com as crianças o que fazem em cada momento e organize junto com elas a sequência temporal das atividades. Diga que essas fotos ou desenhos ajudarão a saber o que farão na escola e que logo após o lanche ou então da brincadeira no parque, por exemplo, seus pais voltarão para buscá-las. Cole o quadro da rotina num lugar de fácil acesso para as crianças.
Avaliação Ao anunciar os momentos que retratam a rotina, diga às crianças que ainda choram e demonstram sofrimento em estar neste novo ambiente, quais são as situações que viverão e quando será o momento de reverem as pessoas de sua família todos os dias. Observe as reações e sempre que chorarem recorra a esta estratégia para ajudar a tranquilizar as crianças.

5º dia
Receba as crianças em roda e conte que escolheu montar os cantos que mais gostaram no decorrer da semana. Quando encerrar, recorra ao quadro da rotina para situar o que farão a seguir. Faça mais uma leitura e guarde mais um livro na biblioteca do grupo. Comente que, aos poucos, conhecerão muitas histórias. Em seguida, mude a atividade e faça com o grupo uma salada de frutas (se possível, peça no dia anterior que cada criança traga de casa uma fruta). Ou então, no lanche, faça um piquenique no espaço externo da escola.
Encerre o dia com uma brincadeira. Conte que ficarão dois dias em casa sem vir para a escola, mas que muitas novidades as aguardam na próxima semana. Fale que brincarão muito e que o professor estará sempre presente quando precisarem de algo.
Avaliação Ajude as crianças mais resistentes à aproximação a transformarem sentimentos em palavras. Reconheça os desafios ainda existentes, mas reafirme que na próxima semana estará novamente na escola para recebê-las e investigar quais são as brincadeiras e outras situações que lhes farão se sentir bem neste ambiente. Se possível, empreste algum livro ou brinquedo e peça para que cuide bem e traga novamente para a escola na próxima semana. Isso ajudará neste processo de construção de vínculo com a escola e com o educador.
Consultoria Clélia Cortez
Formadora do Instituto Avisa Lá, em São Paulo.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Desenhando Com os Dedos


Desenhando Com os Dedos - Edward R. Emberley


A professora Renata recomendou esse livro para fazermos os desenhos com os dedinhos das crianças para deixarmos no cubo acrílico que as crianças receberão no próximo dia das crianças. Foi a primeira vez que vi a obra, mas me encantei! Recomendo!

Editora Panda Books

Sinopse:

Desenhar pode ser divertido, e o livro Desenhando com os Dedos prova isso na prática. A criança descobre que em suas mãos estão formas, cores, diversão, imagens simples e complexas. Seus dedos transformam-se em instrumento de desenho, em brinquedo, em criatividade. Do mesmo jeito que duas impressões digitais nunca são iguais, nenhum desenho feito com os dedos será igual a outro. As impressões serão mais claras ou escuras, as linhas serão mais grossas ou finas, as cores serão diferentes. Mas o desenho feito por você será único! Com mais de 2 milhões de exemplares vendidos no mundo, o livro traz desenhos divertidos e coloridos, ótimos para a criança brincar em casa ou praticar na escola. Para os professores será fornecido um Suplemento de Atividades com propostas de exercícios lúdicos e criativos para trabalho em sala de aula. Pinte o sete pintando com os dedos!


O mais interessante, pelo menos ao meu ver, é que até as crianças dos anos iniciais podem adorar essa brincadeira, se por exemplo aprenderem um desenho por semana vão se apaixonar!

Confira:
Download da obra em formato JPG, em pasta compactada, disponível em:

CONTINUAÇÃO...


Casalzinho simpático com molde

O Trabalho foi meu  e o molde é do blog da Jacirinha




Boneca com jardineira e molde






terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Capa de caderno e molde Brinde!




Esse caderno vou fazer para minhas alunas . Vou deixar o molde que preparei para vocês, espero que gostem.
E por favor comentem!!!
Beijinhossssss







Lembrando que não sou dona dos moldes, sempre que tiver algum a disposição, postarei para ajudar as iniciantes em eva como eu. Se alguém quiser pedir pra tirar ou creditar algum molde,deixe recado.
Podem copiar tudo a vontade.




Capa de Caderno 3 e molde





Capa de caderno 4 e molde




Molde da KRIKA





Joaninha e molde


Almanaque de Brincadeiras e Dinâmicas




Eles contêm centenas de atividades recreativas, desportivas, lúdicas, educativas e culturais, como...
- Brincadeiras para Festa Junina
- Brincadeiras para chá de bebê
- Brincadeiras ao ar livre
- Brincadeiras de salão
- Brincadeiras de Praia
- Brincadeiras de Rua
- Brincadeiras de Clube
- Brincadeiras de Quintal
- Brincadeiras de Campo
- Brincadeiras de Grupo de Jovens
- Brincadeiras de Quadra
- Brincadeiras de Pátio
- Brincadeiras de Gincana
- Brincadeiras de Grupo
- Brincadeiras de Duplas
- Brincadeiras Escolares
- Brincadeiras de Acampamento
- Brincadeiras de Colônia de Férias
- Brincadeiras Folclóricas
- Brincadeiras Infantis
- Brincadeiras para adolescentes
- Brincadeiras Universitárias
- Brincadeiras Antigas
- Brincadeiras Modernas
- Brincadeiras Aquáticas
- Brincadeiras na Lama
- Brincadeiras na Chuva
- Brincadeiras de Faz-de-conta
- Brincadeiras de Roda
- Atividades Lúdicas
- Atividades Recreativas
- Dinâmicas de Grupo
- Provas de Gincana
- Competições Musicais
- Jogos e desafios
- Atividades lúdicas
- Provas de Games da Televisão
- Corridas
- Quebras-gelo
- Pegadinhas
- e muito mais!!!

São 1000 atividades para todas as idades, contextos e ocasiões. E tudo gratuito!

São duas obras incrivelmente completas e muito úteis para quem trabalha com crianças e adolescentes, como professores, recreadores, pais e voluntários que promovem atividades com a garotada da creche, da escola, da família, da igreja ou da vizinhança. O conteúdo dos almanaques com certeza irá proporcionar momentos intensos de aprendizado, diversão e lazer saudáveis. Estamos vivendo em uma época de extinção de brincadeiras e atividades lúdicas e folclóricas, no qual as crianças estão cada vez mais tendo o seu direito à liberdade de brincar cerceado em "proveito" do tempo gasto em aparelhos tecnológicos e atividades de consumo. É necessário fazer algo para amenizar esse quadro. Faça a sua parte! Baixe os almanaques e ponha em prática as brincadeiras e dinâmicas, desenvolvendo as atividades juntamente com seus amigos, sua família, seus alunos, seu grupo de voluntários ou sua turma! Ah, e não se esqueça de divulgar o Blog pra todos os seus contatos!
Vamos Brincar, Brasil. Vamos Brincar!


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Volta as Aulas : Lembrancinha


Olá pessoal!

Em agradecimento ao carinho recebido e às visitas ao meu cantinho, todo mês vou postar um molde como brinde para vocês.

Como estamos voltando às aulas, estou postando o molde dos estojinhos.
Você pode utilizá-lo para presentear seus aluninhos no primeiro dia de aula.
Eles ficam lindos e as crianças vão amar!!!



Decoração - Sala de Aula


Olá, queridos visitantes!!!

Hoje vim postar os cartazes que fiz para a minha sala de aula. Tirei esse modelo do Blogger O mundo das Artes em EVA. Adorei! Esses cartazes foram confeccionado pela Tatiana Sibovits, quem se interessar o contato esta abaixo! Bjs











Pote de sorvete decorado



Amo o blog da Jacirinha e fisguei essa dica de artesanato e reciclagem de lá. Procurando como reciclar os potes de sorvete que tinha muito em casa, achei essa ótima dica, não se preocupem, tem o molde.
Pessoal, aproveita e faz em casa para organizar melhor os cacarecos da criançada.




Molde da boneca para a reciclagem e artesanato do pote


Fonte: JACIRINHA





Volta as Aulas !


 SEMANA DE INTEGRAÇÃO

BRINCADEIRAS DIVERTIDAS AJUDAM NA ADAPTAÇÃO DOS ALUNOS.

MAIS UM ANO CHEGOU E, DEPOIS DE MERECIDAS FÉRIAS, É HORA DE RECOMEÇAR. PARA A MAIORIA DAS CRIANÇAS, ESSE É UM MOMENTO DE MUITA ANSIEDADE, AFINAL IRÃO MUDAR DE SÉRIE, TERÃO UM NOVO PROFESSOR E NOVOS AMIGOS. PARA PRISCILA GARCIA, COORDENADORA DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO TABOÃO DA SERRA, EM TABOÃO DA SERRA (SP), PROGRAMAR A PRIMEIRA SEMANA COM ATIVIDADES RECEREATIVAS VOLTADAS À INTEGRAÇÃO É MELHOR DO QUE JÁ INICIAR OS CONTEÚDOS, PORQUE ASSIM SE ESTABELECE UM VÍNCULO AFETIVO COM A TURMA. " A CRIANÇA PRECISA SE SENTIR BEM NO AMBIENTE PARA SE SENTIR SEGURA E FOCAR NO OBJETIVO DE APRENDER", EXPLICA. MUNA KASSEM HANDAM, COORDENADORA DO ENSINO FUNDAMENTAL I DO COLÉGIO ANGLO AMERICANO, EM FOZ DO IGUAÇU (PR), CONCORDA E COMPLETA: "A PROFESSORA TAMBÉM PRECISA DESSE TEMPO PARA ADAPTAR-SE À NOVA TURMA".
A SEGUIR, SUGERIMOS ATIVIDADES QUE PODEM SER REALIZADAS NO PRIMEIRO DIA DE AULA OU AO LONGO DA SEMANA.


RECEPÇÃO ANIMADA

ORGANIZAR UMA FESTINHA NO PRIMEIRO DIA DE AULA É UMA FORMA DE MOSTRAR ÀS CRIANÇAS QUE A ESCOLA ESTÁ FELIZ POR TÊ-LAS DE VOLTA. O COLÉGIO ANGLO AMERICANO DE FOZ DO IGUAÇU RECEBEU AS TURMA COM UMA PARESENTAÇÃO CIRCENSE E DISTRIBUIÇÃO DE PICOLÉS. MAS VOCÊ PODE TER OUTRAS IDÉIAS. O SORVETE, POR EXEMPLO, PODE SER SUBSTITUÍDO POR GELATINA, PIPOCA, BOLO, REFRIGERANTE ETC., E O CIRCO POR UMA APRESENTAÇÃO DE DANÇA OU TEATRO FEITA POR ALUNOS MAIS VELHOS DO COLÉGIO.

APRESENTAÇÃO DOS PROFESSORES

ANTES DA FESTA, REÚNA TODOS OS ALUNOS NO ANFITEATRO OU NO PÁTIO, PARA QUE OS PROFESSORES SE APRESENTEM RAPIDAMENTE, MOSTRANDO-SE SOLÍCITOS E PRONTOS PARA AJUDAR AS CRIANÇAS EM QUALQUER SITUAÇÃO.

CONHECENDO A TURMA

VEJA 3 BRINCADEIRAS QUE AJUDARÃO AS CRIANÇAS A CONHECEREM OS COLEGAS.

TEIA DOS AMIGOS



REALIZE ESSA DINÂMICA PROPOSTA POR PRISCILA GARCIA, COORDENADORA DO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO TABOÃO DA SERRA, PARA PASSAR À TURMA UMA MENSAGEM DE UNIÃO.
1- FAÇA UMA RODA COM AS CRIANÇAS E EXPLIQUE QUE, AO RECEBEREM O ROLO DE BARBANTE, CADA UMA DEVE FALAR SEU NOME, DE QUE ESCOLA VEIO E SUA BRINCADEIRA FAVORITA.

2- EM SEGUIDA, JOGUE, COM CUIDADO, O ROLO DE BARBANTE PARA UMA CRIANÇA QUE ESTEJA, DE PREFERÊNCIA, DO OUTRO LADO DA RODA. VOCÊ NÃO DEVE SOLTAR A PONTA DO BARBANTE.

3- ESTE ALUNO FALA AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ SOLICITOU E JOGA O BARBANTE PARA OUTRO COLEGA, TAMBÉM SEM SOLTAR A PONTA.

4-A DINÂMICA SEGUE A´TE QUE TODOS SE APRESENTEM E A RODA PAREÇA UMA TEIA DE ARANHA. CONTE QUE ELA REPRESENTA A TEIA DOS AMIGOS, QUE FICARÃO UNIDOS DURANTE O ANO.

5- O ÚLTIMO ALUNO QUE SE APRESENTAR ENROLA O BARBANTE ATÉ TOMAR O LUGAR DO COLEGA QUE SE APRESENTOU ANTES DELE. E ASSIM POR DIANTE, ATÉ O ROLO VOLTAR PARA A SUA MÃO.
  
RODA DA APRESENTAÇÃO



ESTA BRINCADEIRA, ELABORADA PELA PROFESSORA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CRISTIANE DE FIGUEIREDO, DA ESCOLA SÃO VICENTE DE PAULO, EM SÃO PAULO (SP), DIVERTE E TRABALHA A ATENÇÃO DOS ALUNOS. 
1- SENTE COM A TURMA EM CÍRCULO. EXPLIQUE QUE TODOS DEVEM BATER PALMA E, EM SEGUIDA, BATER AS DUAS MÃOS SIMULTANEAMENTE NAS MÃOS DOS COLEGAS QUE ESTÃO À SUA DIREITA E À SUA ESQUERDA. 
2- INICIE A BRINCADEIRA DIZENDO O SEU NOME QUANDO TODOS BATEREM PALMA. O ALUNO À SUA DIREITA É O PRÓXIMO, E DEVE DIZER O NOME DA PRÓXIMA VEZ QUE TODOS BATEREM PALMA. E ASSIM POR DIANTE. OU SEJA, CADA ALUNO IRÁ SE APRESENTEAR NA SEQUÊNCIA DA RODA. 
3- QUANDO O ÚLTIMO ALUNO SE APRESENTAR, REINICIE A BRINCADEIRA, MAS AGORA DIZENDO O NOME DO ALUNO À SUA ESQUERDA. EM SEGUIDA, ESSE ALUNO DEVE DIZER O SEU NOME, E ASSIM POR DIANTE.
DICA: SE AS CRIANÇAS JÁ SOUBEREM O NOME DOS COLEGAS, VOCÊS PODEM FALAR O PRATO PREFERIDO, A BRINCADEIRA DE QUE MAIS GOSTAM, UM ESPORTE QUE PRATICAM ETC.

ENTREVISTA COM O AMIGO


ESSA DINÂMICA TAMBÉM FOI SUGERIDA PELA PROFESSORA CRISTIANE DE FIQUEIREDO E DEVE SER REALIZADA EM DUPLAS. DEIXE CLARO QUE, QUANTO MENOS OS ALUNOS SE CONHECEREM, MAIS LEGAL SERÁ A BRINCADEIRA, POR ISSO OS AMIGOS NÃO DEVEM FICAR JUNTOS. 
1- AS CRIANÇAS TERÃO 15 MINUTOS PARA FAZEREM O MÁXIMO DE PERGUNTAS QUE CONSEGUIREM AO SEU PAR SOBRE SUAS CARACTERÍSTICAS E ANOTAR NO CADERNO. DEPOIS, O ALUNO QUE PERGUNTOU RESPONDE E O QUE RESPONDEU PERGUNTA. 
2- EXPLIQUE QUE, ALÉM DO NOME E DAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS, COMO A COR DOS OLHOS E DO CABELO, A ALTURA, É IMPORTANTE PERGUNTAR TAMBÉM SOBRE OS GOSTOS DO COLEGA: O QUE ELE GOSTA DE COMER, DO QUE GOSTA DE BRINCAR, QUAIS ATIVIDADES ELE FAZ FORA DA ESCOLA, SE ELE GOSTA DE ACORDAR CEDO OU TARDE, QUE LUGARES ELE GOSTARIA DE CONHECER ETC.
3- VENCE QUEM CONSEGUIR ESCREVER O MAIOR NÚMERO DE INFORMÇÕES SOBRE O COLEGA. 
DICA: VOCÊ PODE DIFICULTAR A BRINCADEIRA FAZENDO PERGUNTAS PARA AS CRIANÇAS QUE DEVEM RESPONDER PELO SEU COLEGA DE DUPLA. SE SOUBER A RESPOSTA, A DUPLA GANHA UM PONTO


FAMILIARIZANDO-SE COM O ESPAÇO

DÊ UMA VOLTA COM OS ALUNOS PELO COLÉGIO, APRESENTANDO OS ESPAÇOS E OS FUNCIONÁRIOS QUE ENCONTRAREM PELO CAMINHO. VOCÊ PODE PEDIR AJUDA PARA AS CRIANÇAS QUE JÁ ESTUDAVAM NA ESCOLA, FAZENDO ALGUMAS PERGUNTAS, COMO: " QUEM SABE AONDE IREMOS SE VIRARMOS À ESQUERDA?", "AONDE DEVEMOS IR PARA PEGAR UM LIVRO EMPRESTADO?", "QUEM SABE CHEGAR LÁ?" "ESTE É O ... (NOME DO FUNCIONÁRIO), QUAL A PROFISSÃO DELE?"

ATIVIDADE DE INTEGRAÇAO

ESTA BRINCADEIRA É REALIZADA NO INÍCIO DO PERÍODO NO COLÉGIA ANGLO AMERICANO, "AS CRIANÇAS ADORAM PORQUE, NAQUELE DIA, ELAS ESTÃO PERMITIDAS A ASSISTIR AS AULAS E FAZER TODAS AS ATIVIDADES COM UM AMIGO", EXPLICA A PROFESSORA DA 2ª SÉRIE GIOVANA KEDZIERSKI.

1- COLOQUE PAPEIZINHOS COM OS NOMES DAS CRIANÇAS DENTRO DE BEXIGAS E ENCHA. 

2- ESTOURE UM DOS BALÕES E VERIFIQUE O NOME ESCRITO NO PAPEL. A CRIANÇA SORTEADA ESTOURA MAIS UM E O COLEGA QUE ELA TIRAR SERÁ O SEU COMPANHEIRO DE ATIVIDADES DURANTE O DIA INTEIRO.

DICA: SE A SALA TIVER UM NÚMERO ÍMPAR DE ALUNOS, OS ÚLTIMOS PODEM FICAR EM TRIO.

PARA A AULA DE ARTES 


MENSAGEM NA GARRAFA




ALÉM DE TRABALHAR A PINTURA, ESTA ATIVIDADE FAZ AS CRIANÇAS REFLETIREM E ESCREVEREM SOBRE SUA EXPECTATIVAS PARA O PRÓXIMO ANO. AS GARRAFAS DECORADAS DEVEM SER GUARDADAS ATÉ O ÚLTIMO DIA DE AULA, QUANDO SERÁ FORMADA UMA RODA DE DISCUSSÃO COM TODOS OS ALUNOS, PARA QUE ELES CONTEM SE SUAS EXPECTATIVAS FORAM CUMPRIDAS.


Fonte: Amiga da Educação





Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails

Windows Live Messenger + Facebook