domingo, 29 de março de 2009

Projeto Páscoa

Para entendermos a Páscoa cristã, vamos, sinteticamente, buscar sua origem na festa judaica de mesmo nome. O ritual da Páscoa judaica é apresentado no livro do Êxodo (Ex 12.1-28). Por essa festa, a mais importante do calendário judaico, o povo celebra o fato histórico de sua libertação da escravidão do Egito acontecido há 3.275 anos, cujo protagonista principal desse evento foi Moisés no comando de seu povo pelo mar vermelho e deserto do Sinai.
O evento ÊXODO/SINAI compreende a libertação do Egito, a caminhada pelo deserto e a aliança no monte Sinai (sintetizado nos dez mandamentos dado a Moisés). De evento histórico se torna evento de fé. A passagem do mar vermelho foi lembrada como Páscoa e ficou como um marco na história do povo hebreu. Nos anos seguintes ela sempre foi comemorada com um rito todo particular.
Todo ano, na noite de lua cheia de primavera, os hebreus celebravam a Páscoa, com o sacrifício de cordeiro e o uso dos pães ázimos (sem fermentos), conforme a ordem recebida por Moisés (Ex 12.21.26-27; Dt 12.42). Era uma vigília para lembrar a saída do Egito (forma pela qual tal fato era passado de geração em geração – Ex 12.42; 13.2-8).
Essa celebração ganhou também dimensão futura com o passar do tempo. E quando novamente dominados por estrangeiros, celebravam a Páscoa lembrando o passado, mas pensando no futuro, com esperança de uma nova libertação, última e definitiva, quando toda escravidão seria vencida, e haveria o começo de um mundo novo há muito tempo prometido.
A celebração da Páscoa reunia três realidades distintas:


o uma realidade do passado: o acontecimento histórico da libertação do Egito quando Israel tornou-se o povo de Deus;


o uma realidade do presente: a memória ritual (=celebração) do fato passado levava o israelita a ter consciência de ser um ‘libertado’ de Javé (=Deus), não somente os antepassados, mas o sujeito de hoje (Dt 5.4);


o uma realidade futura: a libertação do Egito era símbolo de uma futura e definitiva libertação do povo de toda a escravidão. Libertação esta que seria a nova Páscoa, marcando o fim de uma situação de pecado e o começo de uma nova era.

Jesus oferecendo seu corpo e sangue assume o duplo sentido da páscoa judaica: sentido de libertação e de aliança. E ao celebrar a Páscoa (Mt 26,1-2.17-20), Ele institui a NOVA PÁSCOA, a Páscoa da libertação total do mal, do pecado e da morte numa aliança de amor de Deus com a humanidade

A nova Páscoa não era uma libertação política do poder dos romanos, como os judeus esperavam. Poucos entenderam que o Reino de Deus transcende o aspecto político, histórico e geográfico.
Hoje, ao celebrarmos a Páscoa, não o fazemos com sacrifício do cordeiro e alimentando-nos com pães sem fermento, pois Cristo se deu em sacrifício uma vez por todas (Jo 1.29; 1Cor 5.7; Ef 5.2; Hb 5.9), como cordeiro pascal, como prova e para nos libertar de tudo aquilo que nos oprime.

A páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. E ressurreição significa vitória!
Deus livrou ao seu povo do Egito e de Faraó, dando-lhes a vitória naquela ocasião. A ressurreição de Jesus representa nossa vitória para sempre. Naquela tarde de Páscoa o cordeiro de Deus deu a vida por nós se entregando por completo e nos livrando da morte e do inferno. Ele ressuscitou e vive para sempre! A Páscoa para o Cristão é o ponto mais alto do ano litúrgico, pois a Ressurreição é o maior acontecimento da História da Igreja. Mas a Páscoa não é apenas a comemoração de um FATO PASSADO. Cada festa Pascal é um novo apelo de Deus, que nos convida a morrermos com Cristo, a nos separarmos do homem velho (do homem do pecado), a fim de nos revestirmos do homem novo e ressurgir para uma vida nova na graça e na santidade.
A Páscoa não é apenas um dia do ano, mas um processo dinâmico e permanente que deve acontecer dentro de nós. Todos os dias o cristão celebra a Páscoa, quando combate o homem velho do pecado, para se revestir do homem novo, em Cristo.

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-

PROJETO DIDÁTICO "A PÁSCOA"
TURMAS: Maternal I e Maternal II
TÍTULO DO PROJETO: A Páscoa
ÁREAS DE CONHECIMENTO: Linguagem Oral, Arte e Ciências


JUSTIFICATIVA

Este trabalho tem por finalidade levar os alunos o conceito de “Páscoa”, e suas principais características e a importância da mesma na vida de todos nós. Acredito na importância de se valorizar as diversas manifestações culturais em nosso meio, e que deve ser resgatada através de um fazer, conhecer e reinterpretar através de desenhos, textos e expressões artísticas.
Quando o aluno entra em contato com os conteúdos de forma dinâmica, pode desenvolver-se melhor no processo de ensino-aprendizagem, ou seja, deixa de ser um aluno passivo para se tornar um aluno participativo, crítico-reflexivo levantando hipóteses em relação ao objeto de estudo.
Optei pelo tema em destaque, por compreender que a escola tem um papel fundamental de levar o educando ao conhecimento das principais manifestações culturais existentes em seu meio, relacionado-se de forma respeitosa com as mesmas. Desta forma, cabe a instituição escolar abordar sobre a temática acima, fornecendo informações relevantes a seus educandos de forma que os mesmos possam ampliarem seus conhecimentos.

II- OBJETIVO GERAL
Contribuir para que os alunos possam ampliar os conhecimentos acerca do significado da “Páscoa”.


III- OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Levar os alunos à:
· Conhecer o significado de “Páscoa”;
· Destacar os símbolos da Páscoa e o conceito de cada um;
· Vivenciar, valorizar e respeitar o verdadeiro sentido da Páscoa em sua vida.

IV- METODOLOGIA UTILIZADA
Coletar os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao tema em destaque.
Dar oportunidade aos alunos de observar os diferentes símbolos da Páscoa através de fotos, músicas e vídeos.
Realizar atividades em grupos e individuais através de recortes e colagem sobre o tema acima.
Serão realizadas atividades envolvendo a confecção de cartazes com desenhos e mensagens, produção de textos e expressões artísticas sobre a “Páscoa”.

V- RECURSOS UTILIZADOS

Fotos, DVD, revistas, livros didáticos, cartolinas, EVA, tesoura, cola quente, cola branca, papel manilha, pincéis, CDs, aparelho de som, televisão.

VI- DESENVOLVIMENTO ( etapas-prováveis)
Primeiramente, será feito um levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos em relação ao tema em destaque.
Posteriormente, serão desenvolvidos vários trabalhos didáticos em sala de aula, envolvendo o tema em destaque.
Os alunos realizarão várias atividades tais como: visualizar os símbolos da Páscoa, pintura, assistir filme sobre o tema, cantar músicas sobre a Páscoa, colagem, etc.

VII- CULMINÂNCIA
Os alunos finalizarão o projeto fazendo uma demonstração de todas as atividades desenvolvidas durante o projeto para as demais salas de aula.
Os alunos receberão uma lembrancinha confeccionada pelos professores sobre a Páscoa.

VIII- AVALIAÇÃO
A avaliação será feita através de registros dos alunos por parte da professora, frente as atividades tanto individual quanto coletiva no decorrer do desenvolvimento do projeto.
Será observado por parte da professora a criatividade e o conhecimento alcançado, pelos alunos durante as atividades propostas em sala de aula .


IX- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

· PCNs ( Parâmetros Curriculares Nacional) de Arte. Secretaria de Ensino Fundamental, MEC, 199
SIDROLÂNDIA, MS
MARÇO, 2008

Recurso Didático: Ovelha - João 1:29 - Fantoche de Rolo de Papel Higiênico
Uma dica maravilhosa para os Cultos Infantis,
utilizando o versículo de João 1:29
"...Eis o Cordeiro de Deus,
que tira o pecado do mundo (Jesus)!"
como base para explicar a Páscoa.
Muito fácil de fazer:
1 - Pegue um rolo de papel higiênico vazio
2 - Forre o rolo com papel sulfite ou cartolina
na cor branca
3 - Imprima o molde abaixo
numa folha sulfite branca ou
em uma cartolina branca (tamanho A4)
4 - Recorte cada parte do molde
5 - Cole cada parte no rolo
na posição vertical
Ideia 1:
Como Fantoche
Utilize o cordeiro para contar a História da Páscoa
Ideia 2:
Como Atividade
Dê para as próprias crianças confeccionarem
o cordeiro, após a História
Ideia 3:
Como Baleiro
- Após forrar o rolo,
feche uma das extremidades
com um círculo de cartolina,
fixado com durex
- Deixe o outro lado aberto
- Cole as partes do cordeiro,
deixando a extremidade fechada embaixo
- Por cima, pela extremidade aberta,
coloque ovinhos de Páscoa ou bombons.






































Dia do indio

PROJETO DIA DO ÍNDIO

Objetivos:
- Conhecer e refletir sobre a história dos índios;
- Conhecer, analisar e debater os hábitos e costumes indígenas;
- Conhecer, analisar e debater a influência indígena em nossa vida;
- Aprender a respeitar os índios com a finalidade de construir a cidadania numa sociedade pluriétnica e pluricultural;
- A partir do tema gerador desenvolver atividades nas diferentes Áreas de Estudo.

Objetivo Proposto nos PCN’S de interesse no presente projeto:
- Conhecer e Valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

PLANEJAMENTO:
Propostas de Atividades que trabalharão os temas transversais: Ética, Saúde, Meio Ambiente, Pluralidade Cultural e Cidadania.

Sensibilização:
- Propor aos alunos que pesquisem e levem para sala de aula recortes de fotos de pessoas que possam parecer descendentes indígenas. Com todas as fotos em mãos, o professor em círculo analisará juntamente com os alunos cada foto. Procurando incentivar para que todos dêem sua opinião. Em um segundo momento listar em um cartaz os conhecimentos que os alunos já tem sobre o assunto ( Conhecimentos Prévios ).
- Provocar os alunos a se expressarem, fazer indagações e ir registrando em um cartaz. Logo em seguida, em um outro cartaz, listar as dúvidas provisórias dos alunos, ou seja, perguntar o que desejam saber sobre o tema e ainda não sabem, novamente provocar os alunos a fim de lançarem suas dúvidas.
Por último, propor que os alunos ilustrem os cartazes com fotos e desenhos.

Propostas de Atividades de Integração das Áreas de Estudo:
GEOGRAFIA:
- Localizar em Mapa ou Globo Terrestre pontos do território nacional onde ainda vivem tribos indígenas;
- Comparar o modo de vida dos índios de outras regiões com o modo de vida dos índios que ainda habitam a floresta amazônica

HISTÓRIA:
- Reconhecer os modos de vida dos índios, sua cultura, sua alimentação, formas de trabalho e sobrevivência;- Refletir e opinar sobre o papel do índio na formação da nação brasileira

LÍNGUA PORTUGUESA:
- Levantar o vocabulário usado pelos indígenas e descobrir seus significados;
- Produzir, utilizando diferentes formas de expressão, textos individuais e coletivos sobre os debates e as reflexões do assunto;
- Orientar os alunos para elaborarem pequenos textos sobre cada descoberta realizada;
- Ler histórias originalmente indígenas ou que tratem do indígena e seus valores;
- Organizar um dicionário ilustrado com as palavras indígenas.

ARTES:
- Observar manifestações de arte da cestaria, da cerâmica, da plumaria e de outros objetos de cerdas vegetais e cordas, realizados pelos índios de hoje e de antigamente;
- Observar ilustrações de artistas do tempo do Brasil – Colônia que retrataram o indígena e suas manifestações culturais;
- Vivenciar através de músicas sobre o tema um pouco da cultura indígena – cantando e dramatizando;
- Vivenciar através de atividades artísticas manuais e plásticas um pouco da cultura indígena, criando objetos e instrumentos musicais.

Formulação de Problemas:
- Questionar em classe:
- Ainda existe preconceito com os índios?
- O que as crianças sabem, pensam e acham sobre isso?
- O que podem e o querem fazer para ajudar a mudar o quadro dos preconceitos e discriminação?
- A culinária indígena é usada na cozinha brasileira? Como?
- Ainda são encontrados locais de agrupamentos e reservas indígenas?
- Quais são essas tribos? Como vivem? Como se mantêm? Quais os seus atuais costumes?
- Quais são as palavras e costumes de origem indígena?
- Há influência dos índios na Língua Brasileira?
- Há influência dos índios no artesanato?
- Há influência dos índios na medicina caseira? E nos adornos pessoais?


ATIVIDADE PARA O DIA DO ÍNDIO



























terça-feira, 10 de março de 2009

Combate a Dengue!!

Programa Nacional de Controle da Dengue

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países, de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em conseqüência da dengue.

Você sabia que o mosquito da dengue costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa?

 
 
 
 
Posted by Picasa


 
 
 
 
Posted by Picasa


 
 
 
Posted by Picasa


 
 
 
 
Posted by Picasa

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails

Windows Live Messenger + Facebook